Festa de Babette: o incrível jantar em remake – Boca no Mundo
Home » Restaurantes » Festa de Babette: o incrível jantar em remake
06 de abril de 2020

Festa de Babette: o incrível jantar em remake

“Ela era capaz de transformar um jantar numa espécie de caso de amor, numa relação de paixão onde era difícil diferenciar o apetite físico do espiritual”.

Assim o personagem do general define, durante uma das refeições mais famosas da história o cinema, a cozinheira que o havia encantado no mítico Café Anglais, em Paris, e se tornara criada de duas irmãs em comunidade religiosa de península na Dinamarca, em 1871.

Cinéfilos em gourmets se ouriçam pelo mundo afora desde que o site Deadline revelou que a mesa será posta novamente para a Festa de Babette. Produção norte-americana dirigida por Alexander Payne, do premiado ‘Sideways – Entre Umas e Outras’, a refilmagem do clássico dinamarquês de 1987, que arrancou lágrimas dos espectadores sobre o poder transformador e afetivo da gastronomia, vai levar menu renovado à cozinha da protagonista.

VAI ENCARAR? Confira aqui todas as receitas da Festa de Babette

A trama original, onde uma comunidade extremamente religiosa é desafiada (e deliciada) pelo menu ‘pecaminoso’ preparado por uma fugitiva da guerra civil na França, será transposta para uma comunidade rural de Minnesota, nos EUA. E a protagonista será uma refugiada, num dos estados americanos onde são mais tensas as questões envolvendo imigrantes.

A responsabilidade da nova produção é grande na recriação da refeição triunfal que desata os nós repressores, porque a imaginação voa lembrando de pratos como a Codorna no Sarcófago (recheada com trufas negras e foie gras, em ninho de massa folhada), ou a sopa de tartaruga gigante, no jantar regado a champagne Veuve Clicquot 1860, e tinto Clos Vougeot 1845, entre outras pérolas.

“Um artista nunca é pobre”, é a frase de Babette que alimentou cozinheiros pelo mundo afora, dita após a revelação de que havia gasto todo o dinheiro ganho na loteria com o jantar de 10 mil francos. Enquanto isso, na tela grande, todos cantavam de mãos dadas sob as estrelas. E não é asssim que deveríamos encerrar nossos jantares inesquecíveis?

O Menu

* Soupe de Tortue Géante (sopa de tartaruga gigante)

* Blinis Demidoff (creme azedo e caviar no blinis)

* Cailles en Sarcophage (codornas com trufas e foie gras)

* Salade d’Endives aux Noix (salada de endívias e nozes)

* Fromages (queijos)

* Baba au Rhum (bolo embebido em calda de rum com frutas)

* Fruits Frais (frutas frescas: uva, banana, figo)

Vinhos

* Jerez Amontillado

* Veuve Clicquot 1860

* Clos Vougeot 1845

* Marc de Champagne (destilado do bagaço das uvas da
champagne)

5 Curiosidades

* O papel de Babette, interpretada por Stéphane Audren, havia sido oferecido a Catherine Deneuve. Ela o teria recusado por
falta de ‘sex appeal’.

* O roteiro foi baseado em conto da escritora dinamarquesa Karen Blixen, de 1950. Na época de acentuado machismo, ela assinava seus textos como um autor masculino: Isak Dinensen.

* O uniforme de criada de Babette foi feito ‘apenas’ pelo estilista Karl Lagerfeld.

* A Festa de Babette foi o primeiro filme dinamarquês a ganhar o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

* É o filme preferido do Papa Francisco.




Nossa Casa

 

Se você não faz fotossíntese, veio ao lugar certo.

 

Boca no Mundo é o blog do jornalista Pedro Landim.

 

Um lugar para quem adora comer, beber, cozinhar, e falar de comida.

 

Sejam muito bem-vindos.