Cerveja nos drinques, vamos brincar? – Boca no Mundo
Home » Bar » Cerveja nos drinques, vamos brincar?
13 de setembro de 2016

Cerveja nos drinques, vamos brincar?

Não apenas louvável em nossas geladeiras, o  movimento das cervejas de menor produção e maior qualidade, as chamadas ‘artesanais’ em suas muitas possibilidades, certamente faz bem à coquetelaria. Com base em matéria do  jornalista Nathan Mattise, publicada no site Punch, seguem algumas dicas de bebidas que combinam com determinados estilos de cerveja.

Valiosas, inclusive, para aprimorar  a brincadeira dentro de casa. No fim do texto temos a receita do Cold in the Shadows, drinque com cerveja IPA da bartender Pamela Wiznitzer, do Seamstress, em Nova York.

IPA

IPAs tendem a oferecer ousadia em todas as direções, com amargor intenso de lúpulo e seus aromas cítricos e herbais. Devem ser combinadas com destilados e outros ingedientes de poder similar, que não serão sublimados pela cerveja, de preferência com um toque de amargor.

Exemplos de misturas: bebidas aromáticas e amargas como pisco, amaro, mezcal, tequila blanco, licores de laranja e cereja, e Campari.

STOUT

Stouts ricas, profundas e maltadas acompanham perfeitamente destilados envelhecidos na madeira, que trazem notas de tostado e caramelo. Também fazem bonito com sabores de especiarias encontrados em runs envelhecidos e amaro.

Exemplos de misturas: rye whiskey, bourbon, rum envelhecido, mezcal e amaro

WEISS

É comum nos balcões o serviço das cervejas de trigo com fatias de limão ou laranja, e esse princípio se estende aos coquetéis. Bebidas cítricas farão bela combinação.

Exemplos de misturas: gin, tequila blanco, rum branco pisco, Genebra, Campari, e licores de laranja.

SAISON E SOUR

As sours levam sua acidez aos drinques, e às vezes precisam de uma doçura que quebre o caráter seco característico do estilo. As saisons, por sua vez, se entrosam com drinques leves com aromas cítricos e herbais. Para as sours frutadas, como a Kriek, ingredientes de maior peso são recomandados, como bourbons, vermutes doces e outros vinhos aromatizados.

Exemplos de misturas: gin, mezcal, bourbon (kriek e sour red ales), vermute branco, Aperol e licores de frutas como ameixa e pêssego.

Tem fruta brasileira nova em cerveja da Colorado com nome de mulher

A melhor novidade do Mondial de La Bière 2016 no Rio

Cold in the Shadows

30ml de Campari / 15ml de licor de framboesa / 15ml de xarope de mel / 30ml de suco de limão siciliano fresco / 40ml de cerveja IPA (Anderson Valley na receita original) / Rodelas de limão e laranja (decoração)

1 – Misture o Campari com o licor de framboesa, o xarope de mel e o suco de limão na coqueteleira e chacoalhe rapidamente com dois cubos de gelo. Adicione a cerveja.

2 – Derrame em copo alto sobre gelo triturado e decore.

Xarope de mel

1 xíc. de mel / 1/2 xíc. de água

1 – Combine o mel e a água em panela pequena no fogo muito baixo. Mexa até o mel dissolver. Retire do fogo e deixe descansar por pelo menos 30 minutos. Guarde em vidro limpo na geladeira por até um mês.




Nossa Casa

 

Se você não faz fotossíntese, veio ao lugar certo.

 

Boca no Mundo é o blog do jornalista Pedro Landim.

 

Um lugar para quem adora comer, beber, cozinhar, e falar de comida.

 

Sejam muito bem-vindos.